quarta-feira, 24 de maio de 2017

Do Triste Duque ao Feliz Bidu




Vovó Aninha , a flor mais linda que já enfeitou meu jardim e hoje enfeita o céu , também amava os animais .


Vovô Delduque , mais conhecido como Duque , seu companheiro de uma vida toda , também nutria amor pelos bichinhos .

Eles ajudaram na minha criação e faziam questão de me ensinar a respeitar todos os seres vivos .

Certo dia ,  em visita a uma sobrinha de vovó , ela me relatou estar preocupada com o Duque , o cachorrinho idoso de uma vizinha que fora atropelado e que a dona o abandonara no quintal  em meio a dores , fome , sede e muito frio .

Ao ouvir tal relato , fui até a casa da tal vizinha e me deparei com uma cena deprimente e cruel . Duque estava jogado no fundo do quintal , sem nenhum tipo de assistência e  minha prima não exagerou em nada , ele tremia , chorava e sequer levantava a cabecinha pra me olhar .

Depois de um resgate complicado , pois sua dona não cuidava dele e não permitia que outras pessoas o fizessem , o levei pra uma clínica veterinária .A profissional foi o olhando e dizendo que era necessário fazer eutanásia .

Me posicionei contra , pois só concordo com tal procedimento em casos extremos e apesar da gravidade do caso dele , não achei que sua hora havia chegado .

E lá vai eu olhar pro céu e pedir orientação ... a ajuda veio em forma de brisa e soprou no meu coração .

- Não permita que matem o Duque ! Salve-o !

Da janela da clínica ,  olhei novamente pro infinito e perguntei :

- Vovô , é o Senhor ? É o Senhor que está me falando isto ?

E eu que chorava copiosamente porque não queria que meu "filhinho" morresse , comecei a sorrir , aí estava a resposta ...

O tirei de lá e fomos a outra clínica .

A nova veterinária  o operou e a operação foi um sucesso , só que ela me disse que ele não andaria mais .

Eu sabia que ela estava enganada  , pois quem o enviou pra mim , o ajudaria até o fim .

Encomendei uma cadeirinha de rodas , sabendo que nunca ia usá-la .

Eu mesma fazia fisioterapia nele e aproveitava este tempo pra conversar e explicar que ele precisava acreditar em mim , que eu ia ajudá-lo a ser feliz , a viver uma nova vida rodeada de amor e carinho , que o passado triste de abandono e maus tratos não mais existia ...

Devido a seu enorme sofrimento , Duque era muito melancólico , ficou seis meses sem latir , tinha medo de tudo , assustava a toa , mas fui conversando , fui amando , fui dedicando , fui ajudando , até que a cadeirinha de rodas ficou pronta .

Expliquei  que ele não precisava dela , que podia andar sozinho ............ E ELE ANDOU !

Sim , Duque acreditou nele mesmo e em mim , ANDOU , LATIU E SORRIU !!! Ele não precisou da cadeirinha porque sentiu que era capaz de ser independente e feliz ! 

Sua história mudou , inclusive o nome , hoje ele é Bidu , o cachorrinho mais amado do mundo .

Bom , em uma outra conversa com a sobrinha da vovó Aninha , fui surpreendida por mais informações .

Quem maltratava o Duque , era a filha da verdadeira dona dele ,a Dona Tunica que o adorava , mas que havia falecido o deixando nas mãos da filha que não gostava dele .

E Dona Tunica foi amiga de vovó . E antes de fazer sua passagem , vovó todos os dias passava perto da casa dele no mesmo horário , que ficava a aguardando, pois ela sempre comprava um pastel para ela e dividia com ele .

Quer dizer então que as duas se encontraram no céu  e articularam pra eu salvá-lo ?

Sim , foi isto que aconteceu !

Como eu sei disto ? Já perguntei e ele me confirmou .

Obrigada Vovó Aninha , Vovô Duque e Dona Tunica por me confiarem esta missão !  Venci com muito amor , dedicação e ajuda de vocês ! E vovô volta a ser o único Duque da minha vida , pois meu "filho" agora é o Bidu .

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Os vampiros da JBS

Imagem Link: https://www.youtube.com/watch?v=pSqCmTGtZ0M


    Nos últimos dias, nós, brasileiros, ficamos mais uma vez atônitos com um novo escândalo de corrupção. A verdade começa a vir à tona, destruindo as máscaras de grande parte dos dirigentes do país. “E conhecereis a verdade e ela vos libertará”, já dizia o mestre Jesus. Por mais que o mal persista, se camufle, não será o suficiente para quebrar a força da verdade, que continuará intacta, apesar de os dissimuladores, os mentirosos, parecerem a maioria. Não, eles não são maioria. Apenas são barulhentos, audaciosos. 

    Nesse contexto, vem a calhar a velha e boa frase “o que me assusta não é o grito dos maus, e sim o silêncio dos bons”. Entretanto, os bons também estão se tornando audaciosos, e deixando de se calar diante de tantas injustiças e mentiras. Graças a isso, muitos corruptos têm sido desmascarados, e o mal, se enfraquecido.     

    Nos últimos dias, temos tomado conhecimento das famosas “delações premiadas”, nas quais são evidenciadas várias ações corruptas, com recebimento de propinas milionárias por parte de políticos que, eleitos pelo povo, deveriam atuar em favor deste e não ao sabor de sua própria ganância e vaidade. Entretanto, mesmo com tantos fatos vexatórios, é até certo ponto compreensível não ficarmos tão estupefatos assim, porque já não esperávamos boa coisa daquela legião de monstros gananciosos.

    O que me tocou profundamente nos últimos escândalos foi o vampirismo daqueles seres malévolos. Não bastasse fragilizarem a democracia e afrontarem descaradamente a legalidade, vampirizando o povo e surrupiando-lhe direitos básicos, eles vampirizam igualmente almas inocentes, roubando-lhes diariamente o seu direito à vida, como se tal derramamento de sangue fosse normal.

    Não, é óbvio que não estou falando de seres humanos. Estou falando dos animais, seres mais inocentes ainda, que não têm nem mesmo voz para clamar por socorro quando são trucidados por nossa ânsia carnívora! Almas inocentes que, desde os primórdios, são vampirizadas por nós, que lhes roubamos as vidas e o direito sagrado de evoluir. 

    Sempre ouvimos dizer que é cultural, que é normal comer carne, que a Bíblia fala que sim, que até  fulano comia, e, através desses desculpismos todos, vamos adiando o inevitável. Precisamos, devemos, podemos, e, queiramos ou não, um dia teremos de parar de nos alimentar dessas criaturas de Deus, porque, enquanto houver o sangue inocente delas sendo derramado, o planeta Terra não se transformará em um planeta de regeneração.

    É fato que ninguém se torna superior pelo fato de não comer carne, mas certamente seres superiores não se alimentam dela, porque sabem de onde advém, e a que custo.   
    
    Vampiros atuais, os irmãos Batista, donos da JBS, compraram  grande parte dos políticos através do sacrifício de milhares de vidas inocentes, e ninguém atentou para isso, porque estão todos preocupados em dizer qual político roubou mais, qual partido  é o mais corrupto, e quantos seres humanos estão sendo lesados perante tanta corrupção. Sim, isso é grave, e muito importante. Como eu disse no começo do texto, a verdade e só a verdade nos libertará dos aguilhões desses vampiros corruptos, como começa a acontecer agora, por meio da ação do Ministério Público, da Polícia Federal e da Justiça. Mas, e quanto aos animais? Quem os libertará?

   
Imagem link: http://domtotal.com/colunas/detalhes.php?artId=3898/
Muitas vacas se debatem, esperneiam e claramente respiram depois de terem sido baleadas na cabeça
 Algum de vocês, ao assistir aos noticiários, se deu conta de quanta morte há por trás de tanta propina e ganância? Eu me dei conta, me coloquei no lugar dos milhões de animais vivendo em condições de terrível crueldade até que sejam abatidos. Os vampiros modernos da JBS, assim como muitos outros, estão sugando ao máximo o sangue dessas criaturinhas e ultrapassando todas as fronteiras da maldade, ao tirarem vidas inocentes para alimentarem não só o corpo físico dos “consumidores”, mas também a própria vaidade e gana pelo poder e pelo dinheiro. Pouco estão se lixando se prejudicam aqueles que esperam uma política justa, honesta e transparente. 

    
   
Imagem Link : https://www.youtube.com/watch?v=pSqCmTGtZ0M
 

Diante desse quadro, eu conclamo: vamos refletir sobre tudo isso. Como teremos um país, um mundo melhor, com uma política limpa, ética, diante de tanto derramamento de sangue? Como continuar a fazer vistas grossas ao tremendo genocídio cometido todos os dias contra os animais? Impossível! Sendo assim, deixemos de nos alimentar do sofrimento dessas pobres criaturinhas, para que nossas mãos fiquem igualmente limpas. Do contrário, continuaremos cúmplices da indústria da morte construída pelos vampiros da JBS e por tantos outros como eles, pois o fato de não matarmos diretamente os animais não nos isenta de culpa pela tragédia que se abate sobre esses nossos irmãozinhos menores. Só porque, covardemente, terceirizamos esse ato, não nos eximimos da responsabilidade pelo terrível crime contra a vida que é cometido quando se assassina um ser vivo inocente. Infelizmente, sem dúvida, enquanto formos coniventes com esse imenso, cruel e lastimável derramamento de sangue, embora não queiramos, podemos, em maior ou menor grau, igualmente ser classificados como vampiros.

Posto isso, comecemos então a vencer a nós mesmos, deixando de nos alimentar de carne. Lutemos para que cada vez mais pessoas se conscientizem de que a paz no mundo depende de nós, do nosso esforço, e de que um grande, um gigantesco e inadiável passo para isso será parando de vampirizar os animais.





Fernanda Almada,Bacharel em Direito e colaboradora do Blog





Fonte Imagens:

Videos: Não tenha medo de ver a carne que você come e a dor da qual participa:

https://www.youtube.com/watch?v=pSqCmTGtZ0M

https://www.youtube.com/watch?v=pSqCmTGtZ0M


Artigo:

Dom Total


Para ler mais a respeito:


Eles não sabem o que comem








Gostou deste Blog? 

Mande um recado pelo

Nos Ajude a divulgar 









Licença Creative Commons     Blog Irmãos Animais-Consciência Humana - Simone Nardi -2017
 Todos os direitos reservados 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS - CÓPIA E REPRODUÇÃO  LIBERADAS DESDE QUE CITADA A FONTE - 2017

quarta-feira, 17 de maio de 2017

AMOR INCONDICIONAL

Lela com roupa cirúrgica 



Ouço com frequência , reclamações de que as pessoas são egoístas , ingratas , que não respeitam o próximo e coisas do gênero .


Tais reclamações advém de pessoas que se tornaram amargas e descrentes no seu semelhante .



Muitas não conseguem realmente encontrar gestos e sentimentos nobres no ser humano . Passam a vida cobrando e esperando algo que nunca vem .



Eu posso dizer que não faço parte deste grupo de pessoas carentes e tristes , pois toda hora recebo sorrisos , latidos e pulos que manifestam amor , gratidão e respeito por mim .

Os meus inúmeros afilhados cães , cadelas e até os mais ariscos gatos que já alimentei , já socorri  ou mesmo apenas afaguei , NUNCA se esquecem de mim .

Em contato com eles sinto-me sempre uma pessoa amada , útil , importante e feliz .

Recentemente socorri Léla ,uma linda cadelinha que mora em uma Vila e foi cruelmente atropelada .

Seus donos , depois do atropelamento a abandonaram , sequer a recolheram da rua e a levaram pra dentro de casa ; Léla estava prenha e depois do acidente , em meio a dores horríveis, começou a perder seus filhotinhos .

Como sou uma pessoa de muita fé , olhei para o céu e pedi socorro ... 

Léla não podia morrer ... não agora ! Não daquela forma !!!

Lela posando para a foto
Eis que toda a Hierarquia Espiritual se uniu e nos enviou um anjo que  pertence a uma ONG protetora de animais . Minha afilhada foi levada à uma clinica veterinária , operada e salva com toda dignidade que tem direito .

De volta à Vila , outro anjo chamado Maria a acolheu em seu humilde lar .

Fui visitá-la e quando a vi gritei pelo seu nome e, para minha alegria , ela levantou a cabeça , olhou bem dentro dos meus olhos e chorou ...

Um choro longo , no qual ela expressou toda sua gratidão por eu tê-la salvo , por ter aliviado suas dores e lhe ofertado carinho e preocupação .

O choro veio de sua alma , foi verdadeiro e profundo ; cheguei a ouvir o mais sincero OBRIGADA ! E ela só parou quando eu disse :

- De nada , meu amor ! Precisando de mim , é só me chamar !!!

Ela então parou e deitou novamente .

A visito todos os dias e quando ela me vê  vem correndo, lindamente vestida ainda com a roupa cirúrgica , me lambe e sorri . É um momento especial , envolto em amor , alegria e gratidão .

E eu sou extremamente grata ao Universo por ter me dado a oportunidade de conhecer O VERDADEIRO AMOR , O AMOR INCONDICIONAL através destes seres divinos a quem chamamos de ANIMAIS !

Você conhece algum ser vivo que ama incondicionalmente ? 

Eu conheço : Tobi , Linda , Laica , Mel , Nina , Pituca , Bidu , Pretinha , Loba , Moleque , Léla , Sheik , Spike , Kika , Rex ... e todos os animais existentes no Planeta Terra !

Os que por ventura não foram batizados com um nome próprio , chame-os de FILHOS DE DEUS !!!

Amigo leitor , AME OS ANIMAIS !!!

Lela  se recuperando.
Permita ter em seu lar um amigo leal e dedicado ,um parceiro , um companheiro de todas as horas .

E não se espante se a pessoa mais feliz for você , 


Rosana , leitora do Blog e com o passar dos anos, grande amiga







Gostou deste Blog? 
Mande um recado pelo
Nos Ajude a divulgar 





Licença Creative Commons     Blog Irmãos Animais-Consciência Humana - Simone Nardi -2017
 Todos os direitos reservados 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS - CÓPIA E REPRODUÇÃO  LIBERADAS DESDE QUE CITADA A FONTE - 2017

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Sofrimento dos Animais: de quem é a Culpa?




Sabemos que o sofrimento dos animais é um tema que comove, intriga, causa revolta e aguça a curiosidade daqueles que se interessam pelo bem estar geral dos animais.

Embora a resposta a questão :  Por que sofrem os animais? ; seja tão cristalina e evidente, constantemente empreendemos uma busca distante do agressor para encontrarmos um culpado a altura do sofrimento que assistimos, buscamos sempre encontrar Um Culpado que consiga tranquilizar nossa consciência.

A grande maioria culpa Deus utilizando-se das mesmas razões milenares : 

"Ele ama somente os seres humanos."

"Ele pune uns e poupa outros"

"Ele é cruel".

E são tantos Ele é isso ou Ele é aquilo , isso quando Ele sequer existe, sua Não existência é o que causaria o sofrimento dos animais, ou seja, de qualquer modo só há um culpado para o sofrimento animal e seu nome é : DEUS.

É sempre bem mais fácil e comodo culpar um Ser no qual , primeiramente não se acredita e posteriormente, que não reclama de ser acusado de algo. Se um trem bateu porque o maquinista  ou seus controladores falharam e milhares de pessoas morreram logo surge a Frase : Por que Deus não fez nada?

Ora porque uma outra parcela da população também alega que Ele não existe e não existindo, inclusive para alguns que se encontravam no trem, o que Ele poderia fazer? Mas existindo e nada fazendo, Ele repentinamente se torna um Ser cruel.

Não existe escapatória para Ele.

Mas aí eis que surge outro grande problema. Alguns que alegam que Deus não existe o fazem porque afirmam que se Ele, caso existisse, não permitiria tanto sofrimento , não permitindo que sob seu reino existisse tanta dor.


Mas existem tantos filhos humanos que cometem atrocidades bestiais mundo afora. 

Concordamos que alguns são filhos de pais realmente ausentes, que pouco se importam com os caminhos que o filho seguir já que também eles estão perdidos no Mundo, mas há outros porém que são filhos de pais devotados e amorosos, que tudo fazem para o bem estar do filho, que de todas as formas lutam para que aquele filho, hoje criminoso e causador de sofrimento, retorne ao caminho do bem, muitas vezes sem sucesso.

O que dizer a respeito disso? 

Que quando erramos, seja muito ou seja pouco, a culpa sempre será de nossos pais : ou por não se incomodarem com o rumo que tomamos ou por , mesmo amorosos, nos permitirem a confiança do Livre Arbítrio, a confiança de que como seres do Mundo temos o total direito de escolher para onde rumar, independente de seus valorosos conselhos?

Seria mesmo perfeito se não existisse um Deus, pois assim os seres humanos olhariam sua crueldade para com os animais por um outro ângulo, veriam sua bestialidade incessante realmente desvelada.

Eles deixariam de se endeusar como se aqueles que hoje cobram e apontam para um único culpado, nunca antes em suas vidas houvessem cometido qualquer delito contra os animais. Porque hoje, do lado que julgam ser o Bem, ele se vê na condição de culpar a quem - ainda - não pensa como ele.

Assim começam os fanatismos. 

Vagarosamente, procurando um culpado para que sua "Causa" possa existir, procurando diferenças que sempre irão existir e com dedos em riste sempre explosivos, zangados, vingativos e revoltados, cuspindo ódio ao invés do amor:

"Se não for da minha religião, não presta"

"Se não for ateu, não presta"

"Se não for vegetariano, não presta"

E vamos colocar que, ao contrário do que muitas pessoas repetem como papagaios :

"Se não vier pelo amor, vem pela dor"

O esperado é que se venha sempre pelo amor. Sempre é mais benfazejo conquistar um coração pelo amor, jamais pela dor.

A vida só é injusta quando a esperança morre, quando o amor desaparece, quando se vive no fanatismo cego de que só minha palavra é lei.

Os animais sofrem sim, porque muitos que hoje lutam por eles já comeram suas carnes, já lhes devoraram as entranhas, já os ignoraram um dia.

Sofrem porque muitos de nós já nos mantivemos por anos a fio cegos as suas súplicas, tais como os que hoje ainda os ignoram. E os animais sofrem mais ainda para nos mostrar o que somente HOJE conseguimos enxergar;

"Cegos guiando cegos, ambos cairão no abismo"



Deus não é o culpado pelos erros humanos nem pela dor dos animais, existindo ou não.

Os animais sofrem e continuarão sofrendo enquanto não formos capazes de mudar e sobretudo de amar, não em nome de Deus, nem em nome de nossa saúde, mas por respeito à eles mesmos.

Àqueles que creem, fiquem com Deus.

Aos amigos ateus, fiquem em paz.


Simone Nardi


Gostou deste Blog? 
Mande um recado pelo
Nos Ajude a divulgar 






Licença Creative Commons     Blog Irmãos Animais-Consciência Humana - Simone Nardi -2017
 Todos os direitos reservados 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS - CÓPIA E REPRODUÇÃO  LIBERADAS DESDE QUE CITADA A FONTE - 2017

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Novos artigos



Próximos Artigos

Muitas vezes a correria do dia a dia não nos permite trabalhar o quanto deveríamos no Blog, não temos tempo para ler, escrever , nem responder a contento todos os emails, mas nos esforçamos para isso.

Quando digo "Nós"  não me refiro a um outro colaborador do Blog -, o qual faço sozinha - mas me refiro a todos vocês que acompanham o Blog, mandam emails, postam respostas, criam debates nos posts e me enviam artigos para serem divididos aqui.

Afinal o BLOG não quer ser eleito o melhor blog da melhor autora, o BLOG quer apenas dividir com todos o conceito de respeito pelos animais e é para isso que "me" esforço diariamente.

Alguns amigos vem, outros vão, mas o BLOG continua existindo há anos, trocando de plataformas, alterando imagens, mas sem nunca parar completamente.

Pela falta de tempo para fazer mais artigos, tenho postado apenas um por semana, quem sabe logo consigo voltar a postar 3 ou até 5 como no inicio? Vamos sempre tentar.

Agradeço a todos vocês que acompanham não a Simone Nardi, mas um Blog que se propôs a colocar os Animais no patamar mais alto.

Próximos artigos:








Estes serão os artigos que irão ao ar nas próximas semanas, pedimos desculpas por não postarmos mais rapidamente todas as questões que nos são enviadas (em forma de artigo), mas como dissemos, o Blog é feito por apenas uma pessoa com o auxilio de alguns leitores colaboradores, por isso nem sempre conseguimos  responder a todas as questões em forma de artigos.

Agradeço a todos



Simone Nardi


OBS: Os links só irão funcionar depois que cada artigo for ao ar no Blog.



quarta-feira, 3 de maio de 2017

A carne nutre a carne










Gostou deste Blog? 
Mande um recado pelo
Nos Ajude a divulgar 








Licença Creative Commons     Blog Irmãos Animais-Consciência Humana - Simone Nardi -2017
 Todos os direitos reservados 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS - CÓPIA E REPRODUÇÃO  LIBERADAS DESDE QUE CITADA A FONTE - 2017

quarta-feira, 26 de abril de 2017

O Vegetarianismo e o Movimento Hare Krsna

adaptado da obra The Hare Krsna Book of Vegetarian Cooking
Bhakti-yoga, a ciência da devoção a Krsna, ou Deus, é fielmente mantida por uma sucessão ininterrupta de mestres e discípulos ao longo das eras tendo em vista a saúde espiritual da humanidade. A cultura védica considera a pessoa que acata os caprichos do corpo e da mente, negligenciando as necessidades da alma, como sendo uma pessoa infectada pela doença do materialismo. Assim como um médico prescreve um medicamento e uma dieta especial para o doente que o busca, os sábios da antiga Índia recomendam o cantar dos santos nomes de Krsna como o medicamento para a doença materialista, e a prasada, o alimento santificado ao ser oferecido a Krsna mediante orações, como a dieta. As escrituras védicas predizem que esse remédio para o sofrimento humano chegará a toda vila e cidade do mundo.
Ansioso por apressar a concretização dessa predição, Sua Divina Graça A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, seguindo os passos de seus grandes predecessores espirituais, dedicou sua vida a difundir a consciência de Krsna. Em 1965, ele deixou a Índia, rumo aos Estados Unidos, a fim de introduzir a consciência de Krsna aos ocidentais, tal como seu mestre espiritual, Sua Divina Graça Bhaktisiddhanta Sarasvati, solicitara-lhe ainda jovem. Srila Prabhupada mostrou-se intrépido diante de sua idade avançada e dos outros obstáculos que se colocaram em seu caminho. Confiando inteiramente na misericórdia do Senhor Krsna, ele iniciou o que se tornaria um movimento mundial na forma da Sociedade Internacional para a Consciência de Krsna (ISKCON). Entre 1965, quando Srila Prabhupada foi para os Estados Unidos, e 1977, quando deixou este mundo, ele transmitiu a inteireza da vida espiritual através de suas palestras, cartas, livros e gravações, bem como através de seu exemplo pessoal. Estabeleceu mais de cem templos, traduziu quase oitenta volumes de literatura transcendental, e iniciou quase cinco mil discípulos.
Srila Prabhupada era motivado por um sentimento de urgência, pois ele podia ver que o mundo precisava da grande cultura espiritual da Índia, a qual estava desaparecendo rapidamente. Na Índia, ele via que os líderes que não tinham nem fé nos ensinamentos védicos nem conhecimento de como aplicá-los estavam tentando solucionar problemas essencialmente espirituais por meio de soluções materiais. Ele viu a geração jovem da Índia dando as costas para sua sublime herança espiritual em favor do materialismo ocidental, ao mesmo tempo em que muitos no Ocidente, desiludidos com o materialismo, estavam buscando por uma nova vida com um conjunto de valores de nível mais elevado.
Srila Prabhupada estava bastante ciente dos problemas tanto da Índia como do Ocidente, e ofereceu uma solução sensata. Ele comparou a Índia, que ainda tinha alguma visão espiritual porém carecia da tecnologia muito difundida por todo o mundo, a um homem aleijado; e comparou os países ocidentais, que se sobressaíam na esfera tecnológica porém eram destituídos de visão espiritual, a um homem cego. Se o aleijado que enxerga se sentar sobre os ombros do cego que consegue andar, eles se tornam como um homem que enxerga e caminha. A Sociedade Internacional para a Consciência de Krsna é esse homem que goza tanto de saudável visão como do poder de se locomover, utilizando o melhor da Índia e o melhor do Ocidente de maneira a difundir o conhecimento consciente de Krsna por todo o mundo e revivê-lo na Índia.
A consciência de Krsna, Srila Prabhupada dizia frequentemente, não é algo árido, e a prasada é um dos elementos que provam essa afirmação. Ele mostrou a seus discípulos como cozinhar muitos tipos de pratos vegetarianos, como oferecê-los a Krsna, o Senhor Supremo, e como saborear o alimento santificado como a misericórdia de Krsna. Srila Prabhupada sempre ficava contente vendo seus discípulos comendo unicamente a prasada de Krsna. Por muitas vezes, ele pessoalmente cozinhou prasada e serviu seus discípulos com suas próprias mãos.
No volume dois de sua obra O Néctar de Prabhupada, Sua Santidade Satsvarupa dasa Gosvami descreve a disposição na qual Srila Prabhupada distribuía prasada: “Ele gostava de dar prasada com suas próprias mãos, e todos gostavam de receber. Não era apenas comida, mas as bênçãos debhakti, a essência do serviço devocional. Srila Prabhupada distribuía prasada feliz, tranquilo e sem discriminação. Quando ele dava às crianças, elas gostavam do sabor adocicado, na forma de biscoitos ou docinhos, porém elas também gostavam disso como uma brincadeira especial com Prabhupada, que se sentava em seu assento de destaque e se curvava para frente para presentear as crianças. As mulheres gostavam do evento, pois era uma rara chance que tinham de chegar próximas de Prabhupada e estender a mão em sua direção. Elas se sentiam satisfeitas com a casta proximidade. E homens robustos iam à frente como crianças ansiosas, algumas vezes se empurrando uns aos outros apenas para receberem a misericórdia de Prabhupada. A Prabhupada, aquilo era sério e importante, e ele supervisionava pessoalmente que sempre houvesse uma grande bandeja sempre pronta para ele distribuir… Embora hoje a distribuição de prasada no Movimento da Consciência de Krsna tenha se tornado algo de grande escala, como desejou Prabhupada, tudo isso começou de suas próprias mãos, quando ele entregava afetuosamente a prasada às pessoas uma a uma”.
Srila Prabhupada ensinou que dar prasada a outros é uma importante parte do estilo de vida consciente de Krsna. Um movimento espiritual é inútil sem distribuição gratuita de alimentos santificados, Srila Prabhupada dizia. Ele queria que a distribuição gratuita de prasada fosse parte de toda festividade Hare Krsna. Com efeito, devido à completa fé na potência espiritual da prasada em elevar a humanidade à consciência de Deus, Srila Prabhupada queria que o mundo inteiro experimentasse essa categoria ímpar de alimento.
Foto: Indayara Moyano
As portas estão abertas ao público todos os dias em todos os nossos mais de trezentos templos, mais de cinquenta comunidades rurais e incontáveis centros culturais espalhados pelo mundo, onde todos podem saborear gratuitamente a prasada de Krsna. Especialmente aos domingos, todo centro convida o público para um suntuoso “banquete do amor”, um programa que Srila Prabhupada iniciou em 1966 no primeiro templo ocidental, no Lower East Side da cidade de Nova Iorque, que conta com canto de mantras devocionais, palestra introdutória sobre a filosofia védica e, é claro, prasada. Vários centros também possuem variados festivais públicos anuais, como o Ratha-yatra, o Festival dos Carros, possivelmente o festival religioso mais antigo do mundo. E, em cada festival como esse, dezenas de milhares de pessoas veem a bela forma de Krsna e comem Sua prasada.
Em 1979, alguns devotos na América do Norte criaram o “Festival da Índia”, um programa cultural itinerante que percorre diferentes países, como os Estados Unidos, Canadá, Polônia e Brasil. Em teatros ou tendas em praças públicas, centenas e milhares de pessoas conhecem a cultura védica, como foi apresentada ao Ocidente por Srila Prabhupada, por meio de teatro, dança, música, exibição de dioramas, literatura védica e, mais uma vez, prasada.
O movimento Hare Krsna também possui restaurantes nas maiores cidades do mundo, como em Londres, Paris, Milão, Los Angeles, Dallas, Sydney e São Paulo. Entre outros fins, tais restaurantes foram idealizados por Srila Prabhupada como uma opção de renda para os devotos de Krsna que optam pela vida de chefes de família, em contraste à posição de monges celibatários. Tanto quanto possível, os restaurantes se valem de ingredientes cultivados nas fazendas administradas pelos devotos de Krsna. Os devotos também oferecem frequentemente cursos de culinária centrados na preparação de prasada. Na Inglaterra, Estados Unidos, Austrália e gradualmente em outros países, o Clube Vegetariano Hare Krsna, presente nos campi das mais importantes universidades do mundo, fornece uma alternativa humana à alimentação dependente de fazendas-fábricas e abatedouros. Uma vez familiarizada com a filosofia consciente de Krsna, que engloba todas as esferas de argumentos em favor do vegetarianismo – e vai além, apresentando argumentos espirituais lúcidos –, considerável parte das pessoas que participa desses clubes adota resolutamente o vegetarianismo em seu dia-a-dia.
Outro programa de distribuição de prasada foi iniciado em 1973, quando Srila Prabhupada um dia olhou pela janela de seu quarto em Sri Mayapur, Índia, e viu uma mocinha procurando por comida em uma pilha de lixo. Naquele momento, ele decidiu que ninguém dentro de um raio de dez quilômetros do templo Hare Krsna de Sri Mayapur deveria passar fome, o que ele informou aos seus discípulos. Poucos dias depois, olhando pela mesma janela, Srila Prabhupada ficou feliz em ver seus discípulos distribuindo prasada para centenas de residentes locais, os quais se sentaram em longas fileiras comendo alegremente em pratos de folha de bananeira. “Continuem para sempre com essa atividade”, Srila Prabhupada disse a seus discípulos. “Sempre distribuam prasada”. Esse foi o nascimento do programa ISKCON Food Relief, que hoje distribui mais de cem mil refeições semanalmente, especialmente na Índia, Bangladesh e África.
Foto: Projeto Alimentos para a Vida de Campina Grande – PB
Um projeto similar, o Hare Krsna Alimentos para a Vida, distribui mais de quarenta mil pratos deprasada diariamente, tanto para pessoas necessitadas como para apreciadores casuais, o que também favorece a dessegregação social. O Movimento Hare Krsna é um dos principais promotores mundiais da dieta vegetariana em grande escala como solução para o problema da fome no mundo, e, para aliviar os efeitos imediatos da fome, os devotos de Krsna fornecem alimentos a vítimas de desastre, desabrigados, desempregados e outros em situações similares através deste programa Alimentos para a Vida. Trabalhando em cooperação com os órgãos competentes locais em diferentes países, o Alimentos para a Vida é frequentemente auxiliado por doações governamentais de artigos alimentícios produzidos em excesso e por diferentes tipos de isenções.
Tais programas, no entanto, fornecem mais do que comida. Srila Prabhupada enfatizava que simplesmente alimentar os famintos não é suficiente. Ele considerava ser falsa caridade dar alimento a alguém a menos que ele seja prasada, pois apenas esse alimento livra o indivíduo de complicações cármicas.
Assim, não é surpreendente que o Movimento Hare Krsna seja por vezes chamado de “A Religião da Culinária”, o movimento que combina filosofia com boa comida. Embora sempre haverá muitos que talvez não aceitem a filosofia, dificilmente há alguém que rejeite a comida. Com efeito, mais de quarenta milhões de pessoas saboreiam anualmente o alimento oferecido à Suprema Personalidade de Deus, o Senhor Sri Krsna.
Ansiamos pelo dia em que ilimitada quantia de prasada será distribuída por todo o mundo e as pessoas em todo lugar oferecerão seu alimento a Deus. Tal revolução neste mais universal dos rituais humanos – o comer – certamente curará a doença materialista da humanidade.