segunda-feira, 20 de maio de 2013

O Espiritismo e os Animais : Ciência ,Religião e Filosofia numa jornada de amor- pt12

O Espiritismo a Ciência e os Animais




Parte 12




Um homem pode viver e ser saudável sem precisar matar animais para se alimentar. No entanto, se ele come carne, ele contribui para tirar a vida de um animal meramente pelo seu apetite. E agir dessa forma é imoral.
Leon Tolstoy



Alimentação carnívora: Você é o que você come.

723. A alimentação animal é, com relação ao homem, contrária à lei da Natureza?
R. “Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem perece. A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização.”


“Sua organização”, ou seja, um envoltório mais pesado, mais denso, materialmente, necessitaria de algo tão denso quanto ele, mas devemos nos lembrar que quanto mais densos, mais materiais e quanto mais materiais, mais desconhecemos as verdadeiras Leis Divinas e matar passa a ser um ato puramente habitual, diferentemente dos animais , que condenamos a inferioridade. Sabemos que os umbrais estão superlotados de corpos espiritualmente mais densos, de pessoas que se excediam  em muitos casos na alimentação, pois segundo eles “a carne nutria a carne”, o que transformou seus perispíritos e suas mentes.Todos os que consomem carne irão ao umbral? Logicamente que não, mas seus perispíritos não estarão ilesos da energia negativa de medo e dor que os animais lançaram em suas carnes no momento de suas mortes, isso é certo. E se damos realmente tanta importância a nossa reforma moral, até quando desejaremos manter esse envoltório pesado sem nos iniciarmos nos primeiros passos para nos livramos dele?  Até quando acreditaremos que sem a carne morreremos? Há 200 anos talvez, porém hoje em dia, mais uma vez, a ciência prova que é possível viver bem sem alimentação de origem animal. Naquela época não se conseguia enxergar mais além disso, não havia ainda o enorme arsenal de livros e artigos, de estudos, sites e revistas que se propunham a falar da senciência animal. Hoje, em relação ao sofrimento pelo qual eles passam , nós não somos nem podemos nos achar seres ignorantes como o éramos no passado.Hoje vivemos em outra época, vivemos evoluindo e precisamos pensar se queremos ou não continuar a evoluir. Claro que cada um dará o primeiro passo no momento certo, mas por que tanto medo em avançar?


Você é o que você come; e se a carne nutre a carne, prosseguiremos pensando assim, eternamente como corpos materialmente mais pesados, como espíritos que tentam alçar vôo, mas estão presos as correntes que lhes prendem a Terra, a corrente do hábito e infelizmente, da tradição; correias mentais muito mais difíceis de serem quebradas do que as correntes de ferro que atam os animais.


Hoje quando ouvir alguém dizer, a carne nutre a carne, lembre-se de pensar que : Você é o que você come.

724. Será meritório abster-se o homem da alimentação animal, ou de outra qualquer, por expiação?
R. “Sim, se praticar essa privação em benefício dos outros. Aos olhos de Deus, porém, só há mortificação, havendo privação séria e útil. Por isso é que qualificamos de hipócritas os que apenas aparentemente se privam de alguma coisa.” 


O que passa às vezes despercebido pelos olhos de quem lê essa questão, é a ultima colocação de Kardec: “...por expiação”.


Muitas vezes ouvimos as pessoas falarem que eram vegetarianas e deixaram de ser, não é algo anormal, é até algo natural porque quem geralmente faz isso é porque não encontrou o motivo correto para abandonar a carne.Alguns se tornam vegetarianos para emagrecer, outros porque aquele ator que idolatram é vegetariano, outros ainda para pagar determinadas promessas, a troca de favores entre Deus e seus filhos ou param por um tempo apenas por expiação, jejum, o que não as impede de recomeçarem a comer animais mais adiante - quando assim o queiram ou quando o tempo de expiação terminar.
E vamos reler a resposta para nos atentarmos mais uma vez aos nossos atos : “ ...só há mortificação, havendo privação séria e útil. Por isso é que qualificamos de hipócritas os que apenas aparentemente se privam de alguma coisa.”


Só há mortificação, rebaixamento, humildade , se a privação for séria e útil. Que seria mais útil à vida de um animal do que sua própria vida, o seu viver, a seu modo, a seu prazer? Tornar-se vegetariano para emagrecer e assim que conseguir o que se deseja voltar a alimentar-se deles é algo que se faça em benefício de outros? Não seria egoísmo beneficiar-se ,a si mesmo, e esquecer-se dos demais? A verdadeira privação, a verdadeira expiação seria em beneficio dos animais que morrem aos milhares, principalmente nas festas de confraternização: Páscoa, Ação de Graças, Natal e Ano Novo. Nosso desejo aqui não é aliviar a angústias dos leitores, mas ao contrário, é abrir seus olhos e seus corações para que essa angústia se faça presente, pois é somente através dela que ele poderá mudar a visão que muitos possuem hoje em relação aos animais. Jesus não veio trazer a paz, veio trazer a espada, porque é ela que fere e é ela que ao ferir desperta e já passamos da hora de despertar, chega de amenizar, é preciso ver a verdade que fere, que magoa, para que algo dentro de nós reaja com coragem e nos mude, nos reforme , nos faça ir buscar por aquilo que antes não nos haviam dado conta: a verdade.


A verdade é que os animais sofrem.A verdade é que com uma dieta balanceada é possível deixar de comer carne, a verdade é que a carne é um animal senciente que sofreu e que foi criado por Deus para evoluir, não importa se, como dizem alguns, eles sabem que irão morrer desse modo, eles temem,eles sofrem, lembremos que até mesmo Jesus sofreu antes da crucificação e sabia de sua missão. 


725. Que se deve pensar das mutilações operadas no corpo do homem ou dos animais?
R. “A que propósito, semelhante questão? Ainda uma vez: inquiri sempre vós mesmos se é útil aquilo de que porventura se trate. A Deus não pode agradar o que seja inútil e o que for nocivo Lhe será sempre desagradável. Porque, ficai sabendo, Deus só é sensível aos sentimentos que elevam para Ele a alma. Obedecendo-Lhe à lei e não a violando é que podereis forrar-vos ao jugo da vossa matéria terrestre.”


 “ O que for nocivo lhe será sempre desagradável”. Depois dessa frase como poderemos insistir em dizer que matar animal é permitido por Deus se sabemos que eles sofrem e sabemos que não há necessidade de suas carnes em nossos organismos? Podemos ver que nos desviamos,  e muito, das Leis Divinas para acompanhar as leis humanas que nos permitem tudo, até mesmo matar. Quando Jesus aboliu os demais mandamentos e disse que havia apenas um: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo, incluiu em uma só frase todos os mandamentos que já haviam sido ditos. E o Espírito prossegue em sua resposta e nos diz : “Obedecendo-Lhe à lei e não a violando é que podereis forrar-vos ao jugo da vossa matéria terrestre”.


Amando a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos é que poderemos obedecer-Lhe a Lei, pois amar é não matar, não violar, não desrespeitar, somente assim conseguiremos nos reformar. Podemos ser bons com nossos irmãos humanos hoje, os melhores em toda crosta terrestre, mas teremos que voltar para aprender a amar de verdade os pequenos irmãos que nos esquecemos de ver: os animais.



Referência Bibliográficas


Alan Kardec – Livros dos Espíritos 


Simone Nardi


Redação do blog Irmão  Animais- Consciência Humana






Gostou deste artigo?
Mande um recado pelo
FALE CONOSCO 
Nos Ajude a divulgar 
Twitter    




©Copyright Blog Irmãos Animais-Consciência Humana - Simone Nardi -2013 
 Todos os direitos reservados 
RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS - CÓPIA E REPRODUÇÃO  LIBERADAS DESDE QUE CITADA A FONTE - 2013




 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente; Sugira; Critique; Trabalhamos a cada dia para melhorar o Blog Irmãos Animais - Consciência Humana